Suplemento alimentar com fosfoetanolamina phosphoethanolamine

está a venda no mercado dos estados unidos um suplemento alimentar contendo a tão polêmica  fosfoetanolamina pois acredita se ser um remédio contra o câncer

três respostas sobre esse assunto. Uma do ponto de vista técnico, uma do ponto de vista legal e uma do ponto de vista de uma pessoa normal. Em primeiro lugar. Do ponto de vista técnico nunca foi provado que a fosfoetanolamina cura o câncer. Isso nunca aconteceu. Os pesquisadores mostraram boas atividades in vitro e in vivo (animais). Mas, se você dar uma rápida olhada na literatura, você verá que milhares de compostos publicados com este tipo de atividades. Os testes humanos não existem . Resultados animais não são suficientes, eles são apenas um indicativo que vale a pena testar algo em seres humanos, e funciona como guia para as doses iniciais, toxicidade e assim por diante. Mas o fato de que a coisa funcionou em um rato não é uma garantia de que ele vai funcionar em humanos. Por muitas razões, vou enumerar algumas delas: Os tumores avaliados nosratos são, na maioria das vezes, enxertos implantados em um animal imunossuprimidos, em última instância, isso significa que ele não se torna exatamente como um tumor real. A segunda coisa é: tão importante quanto a eficácia de uma substância, é a sua farmacocinética, algumas vezes o metabolismo humano pode processar a substância de forma diferente.
Outra coisa importante a enumerar é que os testes clínicos (testes humanos), que não foram feitos neste caso, possui, em geral, três fases. O primeiro é verificar a toxicidade e é feito em indivíduos saudáveis. A segunda fase testar a substância em um número  de doentes. E o terceiro testar a substância em um maior número de pacientes,  têm que ser variável em termos de distribuição geográfica e étnica. Na segunda e terceira fases você sempre tem o efeito placebo, significa que seu composto precisa ser mais eficaz do que o placebo para passar para nos testes. No entanto, mesmo quando uma substância passar na segunda fase, ela falha na terceira fase, e é uma coisa muito comum. Assim, os testes humanos são uma necessidade, e fosfoetanolamina não passou por ele.
Outra coisa que me intriga é sobre o mecanismo de ação deste composto. Os pesquisadores dizem que a substância não faz mal, porque funciona por sinalização para o seu sistema imunológico para matar as células. Mas, como ele pode trabalhar in vitro? Com células isoladas? Eles realmente não sabem o mecanismo. O que é normal também, mas eles não podem usar esse argumento para apoiar a possibilidade de não toxicidade.
Então, do ponto de vista técnico, a fosfoetanolamina cura o câncer? Eu não sei, ele pode funcionar e não pode. Mas PRECISA de ser testado. É uma irresponsabilidade afirmar qualquer coisa agora.