Acho que não seria má ideia

A mera presença dele. Era como se ele tivesse o dobro do tamanho e o dobro da vivacidade dos outros homens. Meus pensamentos ficavam à deriva, atraídos por seus olhos, que se estreitavam um pouco enquanto ele ouvia, como se tentasse confirmar que estava me entendendo perfeitamente… A barba despontava do seu queixo e seu ombro marcava a lã macia do suéter. Meu olhar sempre voltava para sua mãos, apoiadas na mesa, tamborilando distraidamente. Mãos muito competentes[…] Ele me olhou e deu um sorriso interrogativo, fazendo algo derreter dentro de mim. Acho que não seria má ideia, desde que eu ficasse de olho aberto não é?
Depois de você.