eu queria poder me tirar do corpo

eu queria poder me tirar do corpo e ser só essa matéria intragável dentro do peito que não dá pra pegar nas mãos. eu queria me tirar dessa capa que me abriga em dias frios e ferver enquanto nas esquinas de ruas desconhecidas estranhos atravessam e se esbarram, mas não se vêem. eu queria ser vista. estática. imóvel. com a voz calada e o coração gritando. com meus pés cravados no chão e minha alma aflita querendo fugir. pra qualquer outro lugar que se fizesse minha casa. e me abraçasse como se eu fosse pessoa. como se realmente pudesse existir algo capaz de me segurar enquanto meu mundo desmorona. eu queria poder me livrar desses medos que me atrofiam os dedos e músculos. e me matam aos poucos feito demônios que não se enganam com soníferos. eu queria vestir outra pele até que novos silêncios se desenhassem felizes nas minhas células. até que o céu fizesse sentido outra vez. até que eu também fizesse.