Rotina é coisa de sedentário

Eu sei que o tédio vem e desanima
Mas é sempre bom voltar a rotina
Ter uma espécie de controle com o que acontece
E ter noção do que ocorre de dia e quando anoitece

Tudo que acontecer diferente
No dia-a-dia da gente
É sempre uma surpresa
E por isso a vida ganha beleza

Rotina pode causar monomania
E muitas vezes ela vem e vicia
Já que temos preguiça de fazer tudo mudar
Já que nos acostumamos a deixar tudo como está

Rotina é coisa de sedentário
Mas por vezes parece ser necessário
Pois traz uma calmaria, uma espécie de paz
E bem sabemos que paz nunca é demais

Rotina é navegar em uma mar quieto
Que nem sempre deixa o marinheiro desperto
Mas é sempre bom lembrar
Que é no mar revolto que se aprende a navegar

As faces de uma anônima