Eu quero ser menos

Eu quero ser menos, sempre quis ser menos, e francamente, quem diabos quer ser menos hoje em dia? Eu quero. Quero ser menos intenso, menos entregue, menos coração aberto, menos pés na lua, definitivamente eu preciso ser menos. Menos previsível, menos magoável, menos esquecível, menos tarde de domingo, menos banco de praça, menos avenida movimentada, menos tevê ligada no mudo, menos horas iguais, menos músicas e chuva no teto, menos café de padaria, menos rimas clichês, menos celular vibrando, menos idas e vindas, menos barco sem ancora, menos moinho de vento. Eu preciso ser menos. Menos preguiçoso, menos atrasado, menos encontros desmarcados, menos sem vontade, menos segunda de manhã, ah Zé eu preciso ser menos tanta coisa. Menos lembranças, menos histórias, menos filmes na globo, menos flor no pé da estrada, menos ilegível, menos quebrável, menos abandonável, menos partidas, menos visitas, menos ligações de quinta, menos cerveja quente, menos sono pesado, menos cabelo incorrigível. Ainda não vi alguém que queira ser menos Zé, mas eu quero. Menos “não entre”, menos amor, menos saudade, menos abismo, menos ressaca, menos recomeços, menos volta por cima, menos vida pós tempestade, menos um passo de cade vez.
Ciceero M.