O Legado da "Era das Trevas"

O Legado da "Era das Trevas"


 por:jocimar
Essa narrativa é argumentar sobre o papel do historiador com relação à abordagem em um determinado período histórico que foi considerado obscuro, sem produção cultural e intelectual dominado por ditames fundamentalista, ou seja, A Igreja Católica.
Esse período acima citado é um paradigma Iluminista com fulcro preconceituoso que foi desmitificado com a revolução histórica através da escola de Analles e seus contribuidores interpretando e inovando com novas visões a historicidade da era medieval.
Que hoje na contemporaneidade nós vemos, sentimos e pensamos o que foi produzido pelos medievos como as imagens de santos, o medo da morte, a ideia do demônio, os livros, a língua portuguesa falada no Brasil, feiras livres, as roupas que esta sobre a ditadura da moda, o fim do mundo a cada mil anos, o relógio e a noção do tempo histórico com caráter linear, as universidades e outros fatos que esta a nossa volta.
Logo vimos esses itens citados que envolvem nosso cotidiano à maioria é decorrente do cristianismo que durou os dez séculos da era medieval com intensa produção cultural para medievalista como Hilário Franco, March Bloch, Philipe Aries, Le Goff, dentre outros.
Então as contribuições mais importantes na atualidade são: as sociais, as comportamentais e econômicas.
As sociais nós temos as comemorações ritualísticas dos mortos como: as procissões funerárias, os aniversários dos mortos, a celebração litúrgica dos mortos (fosse ele um morto comum ou um morto especial, um “santo”), a exemplo nós temos umas das festas religiosas mais populares do Rio de Janeiro comemorada em, 23 de Abril que celebra o martírio de São Jorge o Santo Guerreiro, alem desses rituais, nós presenciamos o sincretismo religioso que herdamos e a modificação da ideologia cristã neoplatônica para uma ideia mais iminente com Deus através da revolução protestante e as primeiras universidades.
As comportamentais são: o dia de descanso, a inovação na guerra bacteriológica, miscigenação cultural proveniente dos judeus que escaparam da inquisição.
As econômicas são: as primeiras feiras livres, a ideia de usura condenada como agiotagem e a divisão dos países europeus para mais na frente surgir com a ideia imperialista de consumismo exagerado chegando ao colonialismo daí à escravidão.
E para concluir deixo como minhas as palavras de Jules Michelet.
“aquilo que amamos, aquilo que nos amamentou quando pequenos, aquilo que foi nosso pai e nossa mãe, aquilo que nos cantava tão docemente no berço” .
Logo no século XXI, nós temos que tentar ver a idade media como os olhos dela própria sem a catarata do estereótipo que segou os enciclopedistas e iluministas.


O Legado da "Era das Trevas" Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/social-sciences/education/2423090-legado-da-era-das-trevas/

Comentários