o que é um zé ninguém

Escuta Zé Ninguém

Resumo escrito por:muxiii
Em algum momento das nossas vidas toda a gente acaba por conhecer algum Zé. Este diminutivo de José não nos é por isso um nome estranho. José é na bíblia esposo de Maria. José é o nome do nosso prémio Nobel! O nome José avulta assim não só na nossa própria história, mas um pouco por todas as histórias. Do nome próprio surgiu então o diminutivo: Zé. Muitos se chamam por isso Zé Manuel, Zé António, Zé Pedro, mas ninguém se chega a chamar "Zé Ninguém", quanto mais não seja porque todos nós nos achamos alguém! Contudo, eu pergunto: o que será que nos faz passar de ninguém a alguém!? O acto de nascermos e de assim passarmos a existir!? Sim, esta é a maneira mais fácil de responder à questão, mas e se a nossa existência for meramente redundante para o desenrolar dos acontecimentos com que a história se inscreve, será que realmente existiremos então!? É sumamente sabido que para a maior parte de nós estas questões não têm o minimo interesse e que por isso nunca nos pomos no eixo do desenrolar dos acontecimentos. Limitamos a viver para trabalhar e não a trabalhar para podermos viver, mas enquanto isso lá vamos nós para o café criticar este ou aquele Zé! Sim, porque a maior parte de nós vê-se sempre do lado de fora da questão ou não fosse o ser humano tão egocêntrico. Criticar é sempre a via mais fácil e por isso o maior dos impedimentos à mudança. Criticamos os governantes, os patrões, a vizinha, a prima e por sua vez os governantes criticam o povo, os patrões criticam o empregado e a vizinha e a prima acabam por criticar o resto da familia e o resto da vizinhança, mas e se em vez de criticarmos nos puséssemos a medir o quão contribuímos para que uma mudança se opere. Não não se trata de magia! Trata-se de ter a coragem de passar de um mero Zé Ninguém para um Zé Alguém, claro que isso requer um árduo trabalho pois significa ponderar tudo o que nos foi ensinado e reescrever. A critica será implacável pois os Zé Ninguém não suportam os Zé Alguém quanto mais não seja porque deve dar um grande nó na garganta constatar que afinal há aqui alguém com a capacidade de se insurgir contra tudo isso que nos fazem seres menores. Entre ser e ser humano existe uma enorme diferença, a prova disso é que muitos animais conseguem ser muito mais humanos que nós, pois estes não matam por diversão, matam para comer, enquanto nós...nós, assistimos à extinção do ultimo rinoceronte negro enquanto comemos pipocas!
Escuta Zé Ninguém Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/books/romance/2407034-escuta-z%C3%A9-ningu%C3%A9m/