inteligência e a capacidade de aprendizado

Inteligência, e capacidade de aprendizagem.


Resumo escrito por:Carolina20
A obra Desenvolvimento Psicológico e Educação, uma das mais completas e atualizadas que descrevem o processo educativo, incorpora os avanços mais importantes alcançados durante esses anos no que diz respeito à compreensão dos processos psicológicos envolvidos no processo ensino-aprendizagem, a construção do conhecimento em sala de aula, a importância dos conteúdos escolares e as relações entre o ensino escolar e o ensino em outros contextos.
Primeiramente, faz-se importante destacar os estudos de Binet e Simon (1905) que elaboraram o famoso teste de QI e a Escala Métrica da Inteligência a fim de diferenciar alunos que não aprendem por conta de serem portadores de transtornos de aprendizagem daqueles que não aprendem por responsabilidade de fatores externos. Esse teste busca medir diretamente os traços complexos na procura das diferenças individuais, e seu resultado se calcula por uma fórmula que multiplica a idade mental por cem e a divide pela idade cronológica.
Dentro desse mesmo contexto, Sternberg (1980) descobriu as perspectivas do processamento humano da informação, que descrevem detalhadamente o funcionamento intelectual através de metacomponentes: componentes de execução, de aquisição, de retenção e de transferência.
Através da teoria triárquica da inteligência, Sternberg (1985) propôs que para entendê-la é preciso compreender primeiro sua relação direta com três aspectos – o mundo externo do indivíduo, o mundo interno do indivíduo e a junção dos dois mundos.
Sem dúvidas, uma das contribuições mais significativas para o tema, foi a desmistificação do fato de as boas notas obtidas pelo aluno dependerem de sua “inteligência”, mas sim da junção de suas múltiplas inteligências – Linguística, Lógico- matemática, Espacial, Musical, Corporal – cinestésica, Interpessoal e Intrapessoal- que formam uma hierarquia. (Gardner, colaboradores 1983, 1993, 1995, 1999).
Outra descoberta a se destacar é a da “Inteligência bem sucedida”, que faz a diferença na vida de qualquer pessoa. Criada por Sternberg (1985), que a utilizou para ampliar a teoria triárquica, ela prega três aspectos básicos para a vida: a análise, a criatividade e a prática.
Ao professor é muito importante conhecer bem a respeito de Psicologia e das questões psicológicas ligadas à aprendizagem, para que possa desenvolver sua prática pedagógica embasado no contexto da realidade do aluno, ciente de que podem existir quaisquer problemas para enfrentar junto a ele no período escolar e quais alternativas existem para vencê-los.
Todas essas descobertas, se bem utilizadas, podem contribuir muito para a Educação, pois através delas é possível entender o que de fato acontece com o cognitivo - principalmente com o passar do tempo da idade - e aproveitar a vantagem de cada mudança para investir em questões educacionais, para inovar nos métodos e nos conteúdos. Tirar proveitos pode melhorar muito a aprendizagem e, consequentemente, torná-la mais prazerosa.

Inteligência, inteligências e capacidade de aprendizagem. Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/social-sciences/education/2402618-intelig%C3%AAncia-intelig%C3%AAncias-capacidade-aprendizagem/

Postagens mais visitadas deste blog

Caixa de Som Amplificadora TRC