o calor e a intoxicação alimentar

O calor e a infecção dos alimentos


Resumo escrito por:CarlosRossi
  Medicina Preventiva
Medicina Preventiva
O calor e a infecção alimentar:...Estão relacionados. Todos os alimentos perecíveis devem ser mantidos em geladeira. Proteção contra moscas e demais insetos também é fundamental. A água deve ser fervida e os alimentos aquecidos a uma temperatura superior a 70°C. Os principais sintomas são náuseas, vômitos, mal estar, diarréia, cólicas e um pouco de febre. Os sintomas passam em alguns dias e não é necessário pausa alimentar e nem se recomenda o uso de antibióticos ou antidiarréicos e procurar ajuda médica em caso de intensificação dos sintomas. Quem volta da praia e começa a ter muita cólica pode desconfiar da presença de algum bicho diferente dentro do intestino. Os campeões do verão são bactérias, vermes e protozoários. Dentro do sistema digestivo se multiplicam ou liberam toxinas. Após um exame, o remédio correto é prescrito.
Ficando por dentro» Principais fontes de contaminação – alimentos mal conservados e água não tratada.
- Alimentos de risco: mainose, bolos e doces recheados, carne mal cosida, leite e derivados, peixes e frutos do mar.
O que fazer? Beber muito líquido, não tomar remédio para prender o intestino. Dieta leve. Evitar gordura e em caso de piora, procurar ajuda médica. Lavar as mãos antes e depois do manuseio de alimentos e após ir ao banheiro. Não comer crus ou mal cozidos. Lavar os utensílios de cozinha imediatamente após seu uso. As sobras dos alimenos devem ser colocadas na geladeira em recientes fechados ou protegidos por filmes plásticos. Observar o prazo de validade. Cuidado com barracas, sob o sol, não costumam ter manutenção adequada dos alimentos.Estão relacionados. Todos os alimentos perecíveis devem ser mantidos em geladeira. Proteção contra moscas e demais insetos também é fundamental. A água deve ser fervida e os alimentos aquecidos a uma temperatura superior a 70°C. Os principais sintomas são náuseas, vômitos, mal estar, diarréia, cólicas e um pouco de febre. Os sintomas passam em alguns dias e não é necessário pausa alimentar e nem se recomenda o uso de antibióticos ou antidiarréicos e procurar ajuda médica em caso de intensificação dos sintomas. Quem volta da praia e começa a ter muita cólica pode desconfiar da presença de algum bicho diferente dentro do intestino. Os campeões do verão são bactérias, vermes e protozoários. Dentro do sistema digestivo se multiplicam ou liberam toxinas. Após um exame, o remédio correto é prescrito.
Ficando por dentro» Principais fontes de contaminação – alimentos mal conservados e água não tratada.
- Alimentos de risco: mainose, bolos e doces recheados, carne mal cosida, leite e derivados, peixes e frutos do mar.
O que fazer? Beber muito líquido, não tomar remédio para prender o intestino. Dieta leve. Evitar gordura e em caso de piora, procurar ajuda médica. Lavar as mãos antes e depois do manuseio de alimentos e após ir ao banheiro. Não comer crus ou mal cozidos. Lavar os utensílios de cozinha imediatamente após seu uso. As sobras dos alimenos devem ser colocadas na geladeira em recientes fechados ou protegidos por filmes plásticos. Observar o prazo de validade. Cuidado com barracas, sob o sol, não costumam ter manutenção adequada dos alimentos.
Medicina Preventiva-O calor e a infecção alimentar Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/medicine-and-health/epidemiology-public-health/1850497-medicina-preventiva-calor-infec%C3%A7%C3%A3o-alimentar/

Comentários