O jovem Sherlock Holmes



Resumo escrito por:FelixGray
Quando o tema é Sherlock Holmes as expectativas se elevam, ainda mais nesses últimos anos em que houve uma explosão de material sobre este fascinante personagem da literatura inglesa. Conhecido como o maior e mais amado detetive do mundo, foi criado pelo escritor britânico Sir Arthur Conan Doyle. Surgiu pela primeira vez no livro “Um estudo em Vermelho” publicado na Beeton’s Christimas Annual em novembro de 1887, e desde então vem cativando as pessoas do mundo todo.
Em “A nuvem da morte”, Andrew Lane que é um grande fã da obra de Doyle, tenta retratar como pode ter sido a infância deste ícone da literatura. Não se sabe muito sobre o passado de Holmes, e na obra original o único parente que conhecemos é o notável irmão mais velho Mycroft. A partir dai existem muitas especulações sobre como ele viria a se tornar o detetive que conhecemos hoje.
Já aos 14 anos Sherlock parece solitário, demonstrando não ter amigos em sua escola, a Deepdene para garotos. Logo fica apreensivo quando recebe a noticia de seu irmão, de que teria de passar as férias na casa dos tios, pessoas que ainda não havia conhecido. E tudo parece piorar quando chega ao local, os tios são estranhos e a governanta não esconde a antipatia pelo jovem. Clima que chama atenção, pois pode se tratar de algum mistério relacionado á própria família Holmes. No entanto, o que prometia ser uma temporada de tédio e solidão sofre grande transformação quando Sherlock toma conhecimento de alguns fatos e conhece alguns personagens muito interessantes.
Matty Arnatt é um garoto de rua que se torna amigo de Sherlock, também é ele que vê pela primeira vez a nuvem da morte, só depois descobre que alguém havia morrido no mesmo local. No inicio o próprio Sherlock duvida da história até encontrar um cadáver no bosque e ver a nuvem abandonar o corpo de um homem coberto por pústulas. Muitos fatores incitam a curiosidade de Holmes, ainda mais quando percebe que talvez o trabalho de Mycroft tenha algo a ver com essas mortes misteriosas. Assim começa sua vida de aventuras e a busca pela verdade, que neste caso envolve o futuro da Grã-Bretanha.
No inicio é bem estranho ver um Holmes sem o raciocínio afiado ou suas habilidades marcantes, mais depois percebemos que todas as características que conhecemos estão espalhadas por outros personagens ou cenários. Temos por exemplo o tutor americano contratado por Mycroft, Amyus Crowe que tenta moldar o raciocínio lógico de Sherlock, um personagem interessante que desenvolve uma das principais características de Holmes que é o raciocínio lógico.
Personagens como Matt, Virginia e Dr Wimchcombe possuem características que parecem tentativas de explicar alguns costumes do grande detetive. Por exemplo, sua paixão por abelhas, falta de relacionamento profundo com mulheres, necessidade de ter sempre alguém ao seu lado e de conhecer alguém no submundo da sociedade.
No geral é uma boa leitura, conseguiu apresentar bem seus personagens e suas características. Mas acredito que nesse primeiro livro o mais interessante é a resposta para a seguinte pergunta:
O que é a Nuvem da Morte?
Achei a resposta criativa sem ser decepcionante, afinal estamos falando de Holmes, não se pode dar uma resposta mágica para a história de um personagem que usa a lógica. Merece ser lido por diversão, não espere encontrar algo parecido com os contos de Doyle. São aventuras voltadas para um público mais jovem. Nota 2,5/5

O jovem Sherlock Holmes: Nuvem da Morte Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/books/children-and-youth/2391631-jovem-sherlock-holmes-nuvem-da/

Comentários