livro O Toque Invisível



Crítica escrita por:ArianeMarques
Trabalho é pessoal

O livro O Toque Invisível de Harry Beckwith, aborda o tema da gestão de serviços, marketing de relacionamento e fala sobre as quatro ferramentas ou chaves para o marketing moderno: o preço, a marca, a apresentação, os relacionamentos.

Com insights atraentes, práticos e realistas do especialista em marketing mais confiável dos Estados Unidos, oferece ainda oito idéias chaves para relacionamentos duradouros.
Depois do livro Gestão de Serviços este é um dos melhores que já caiu em minhas mãos sobre o
assunto.
Cada parágrafo, capítulo, coloca abaixo os mitos do marketing. O autor puxa o tapete e derruba
algumas das supostas técnicas mais eficazes para o crescimento de uma empresa de serviços. Com isso coloca o leitor em pensamentos delirantes, ou melhor, eu estou até agora a dar voltas com o ponto de vista instigante e inspirador do autor.

Harry foi presenteado certa vez com um chapéu, no qual havia um slogan enigmático na parte de trás: trabalho é pessoal.

A força dessas palavras implodiu em sua cabeça: trabalho é pessoal. “Trabalho não tem a ver com negócios, tem a ver conosco. Adimensão humana dos negócios – a dimensão confusa, emocional e totalmente humana – não é apenas importante: é super abrangente. Por isso, devemos mergulhar no mundo dos sentimentos – um território realmente assustador.”
Segundo ele, os negócios são como um palco que se oferece a nossa frente, onde representamos o
drama humano.
Esse livro é a minha paixão do momento. Relaciono abaixo as dicas colocadas com ênfase, pelo próprio autor, no livro ao final de cada capítulo e alguns comentários feitos por mim.

Relaciono abaixo as dicas colocadas com ênfase, pelo próprio autor, no livro ao final de cada
capítulo e alguns comentários feitos por mim.

Seguem aqui as dicas para evitar as falácias do marketing:
1.      Ignore as melhores práticas. Depois as crie.

2.      Não imite. Seu negócio é mais complexo do que
isso.

3.      Antes de você tentar influenciar na decisão de
um possível cliente, descubra o que ele já decidiu – e por quê

4.      Para criar mais, aprenda algo novo.

5.      As pessoas não lideram. Os objetivos sim.

6.      Não há trabalhos comuns. Só há pessoas que insistem em realizá-los de modos comuns.

7.      A falácia da novidade: Antes de você tentar se vender; torne-se familiar.

8.      A falácia da resposta obrigatória a uma requisição formal de resposta: Antes de responder a uma RFP, certifique-se de que deve fazê-lo.

9.      Relacione seus pontos de contato. Então imagine o que poderia tornar cada um deles extraordinário.

10.  Faça mais do que prestar atenção aos detalhes;controle-os.

11.  Cuidado com o sucesso inicial. Seus compradores estão bem abaixo na curva em sino.

12. A falácia da alternativa virtual. Pode estar surgindo um mundo virtual. Mas não há
nenhuma evidência de que nós sejamos virtuais. Nó somos sociais, dependemos uns dos outros para nossa própria sobrevivência, portanto faça contato humano. Como exemplo veja as empresas que vendem por catálogo, pela internet, pela TV, o que elas fizeram? Abriram lojas. Veja o exemplo da Polishop. E o que falar dos cinemas, multidões saindo de casa, quando poderiam estar em seus casulos assistindo os mesmos filmes. Somos ciraturas de conveniência, precisamos sair por sair.


O Toque Invisível Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/business-management/marketing/2151185-toque-invis%C3%ADvel/

Comentários