Lidar com pressão no trabalho



Crítica escrita por:JOAOVICTORS

Principalmente no ambiente comercial, uma das perguntas mais frequentes na seleção é a ridícula questão: "Você sabe lidar com a pressão no ambiente de trabalho?


 Perguntas fechadas são obviamente respondidas pelo óbvio: - SIM, estou acostumado a lidar com a pressão no ambiente de trabalho, mas esta pergunta soa mais como uma colocação, indicando ao candidato que existem metas, números a serem alcançados e que este, se integrado, irá ser cobrado por isso.
Quando falamos sobre pressão no ambiente de trabalho lembramos diretamente da relação entre chefe x subordinado que se estende em diferentes níveis da pirâmide hierárquica da empresa. Não é de hoje que o ambiente comercial carrega como se fosse uma medalha no peito o termo pressão confundindo-o com eficiência em gestão sobre resultados.
Um ponto de questão é que este termo pressão é diretamente relacionado a um adjetivo de desconforto e ninguém gosta de estar desconfortável em um ambiente de trabalho.
Acredito em um ambiente de trabalho onde a pressão é substituída pela criatividade e espírito de equipe. A pressão sobre resultados ela deve ser de dentro para fora e não de fora para dentro. A pressão parte da necessidade do colaborador em atingir seus objetivos profissionais e pessoais e não por receio, medo ou vergonha.
Quando o ambiente não atende a exigências mais modernas de relação pessoal, a pressão é repassada de maneira incorreta, mas como lidar com essa situação na visão do pressionado?
Existe um conceito milenar que diz que tudo na vida pode ser muito fácil ou muito difícil, depende apenas de como lidamos com o nosso pensamento.
Existe também os conceitos sobre "reação", onde em um curto espaço de tempo onde recebemos o problema e decidimos como lidar com ele podemos escolher entre sofrer e não sofrer.
Toda essa sugestão de atitude envolve inteligência emocional, mas acredito que para existir mudança primeiro você precisa estar convencido desta facilidade.
Todo ser humano vivente é um saco de paradigmas. Paradigmas são preconceitos que marcam o cérebro durante a criação. Muitos destes paradigmas caracterizam seu orgulho, sua personalidade de tal maneira que você passa a acreditar em definições, em um mundo onde nada, absolutamente nada é definitivo.
A única certeza que temos na vida é a morte, porque até hoje tudo que nasce morre, mas alguns acreditam que existe Deus e que um dia seu filho virá e a partir daí existirá vida eterna. Talvez então nem a morte seja uma certeza.
Não vamos devanear, apenas entender que precisamos sempre, constantemente nos adaptar as mudanças e que esta adaptação depende por muitas vezes que você reinicie conceitos sobre a sua própria criação, seus paradigmas.
O primeiro passo para lidar com a pressão é entender algumas regras sobre o "sofrimento".
Primeira regra: -O sofrimento é uma resposta automática de seu cérebro indicando que alguma coisa em você precisa mudar.
Segunda regra: -Sofrimento sem mudança continua a existir e cria traumas.
Terceira regra: - Sofrimento é algo interno, não gera ação, logo não resolve nada.
Quarta regra: -Quando tranquilos pensamos melhor. Para estarmos tranquilos não podemos sofrer.
Quinta regra: -Quanto antes o problema é resolvido, menos sofrimento carregamos.
Sexta regra: -Não ter solução, também pode ser uma solução, o que cria um recomeço e pede apenas treino de resiliência.
O segundo passo para lidar com a pressão no trabalho é facilitar a tua linha de pensamento. Existem problemas profissionais e problemas pessoais. Saiba separá-los sempre que possível. Por exemplo, se algum cliente insatisfeito desistiu de um pedido e não aceitou nenhuma condição aplicada gerou um problema profissional. Você não ganhar esta comissão sobre o pedido gerou um problema pessoal. Sofrer reflete em seu rosto, pensamentos e implica em suas ações o que provavelmente atrapalhe em uma nova venda, onde passa a aumentar seus problemas pessoais. Entenda que o problema foi profissional, entenda a perda e pare de sofrer. Limpe sua mente para pensar em novas vendas.
O termo engolir sapos vem de muitos anos atrás. Um sapo não é fácil de engolir. O sapo é um bicho nojento, barulhento, gosmento, muitas vezes venenoso. Chutar o sapo para longe é mais fácil, mas ele pode voltar. A proposta é matar o sapo e enterrá-lo.
Aceite os fatos do problema, responda apenas o necessário para trazer melhorias, desde que tenha provas suficientes para convencer o decisor a mudanças. Quando o assunto exigir calma, apenas escute, enforque o sapo aos poucos até matá-lo e pense bem em como agir para enterrá-lo com inteligência.


A pressão no trabalho Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/business-management/human-resources/2334525-press%C3%A3o-trabalho/

Comentários