Filme Réquiem para um sonho



Resumo escrito por:Maria_Truccolo

“Réquiem para um sonho” descreve diferentes formas de vícios (todas relacionadas ao consumo), conduzindo os personagens ao aprisionamento em um mundo ideal, que é então tomado e devastado pela realidade


. Dividido em três estações do ano, verão, outono e inverno, o drama baseado no livro homônimo de Hubert Selby Jr. (publicado em 1978) foi filmado por Darren Aronofsky, em 2000 (EUA).

Todas as personagens principais do filme são adictas. Os jovens Harry Goldfarb (Jared Leto), Marion Silver (Jennifer Connelly) e Tyrone C. Love (Marlon Wayans), em cocaína, e Sara Goldfarb (Ellen Burstyn), mãe de Harry, em comida e, depois, em anfetaminas. Marion, namorada de Harry, quer ter uma grife famosa de roupas, o que está relacionado ao corpo e que pode ser remetido à mesma fixação da mãe do namorado.


Sara é convidada a participar de um programa de tevê. Quer, precisa ser vista, reconhecida por todos. Deseja usar um vestido vermelho, o mesmo com o que foi à formatura do filho, e pelo qual o marido a admirava e se mostrava mais apaixonado pela esposa. Experimenta-o e percebe que não serve mais, devido ao ganho de peso. Vai ao médico, que mal olha pra sua cara, e substitui toda a comida por pílulas (anfetaminas), que devem ser usadas de manhã, á tarde e à noite.


A mãe de Harry adquire tolerância às anfetaminas, e passa a consumi-las em doses cada vez maiores. Enlouquece. Alucina sua ida ao programa de tevê e a geladeira que ganha vida, ambos a atacando, entre outras formas de defesa do seu mal-estar psíquico. É internada em hospital psiquiátrico e diante da não reação aos medicamentos e à indução forçada para que se alimente, acaba sendo submetida a sessões de eletroconvulsoterapia (eletrochoque). Fica ainda mais louca.


Harry e Tyrone começam no ramo de tráfico de cocaína ganhando muito dinheiro. Têm estratégias para não serem pegos nem deixarem que o vício pela droga derrube o negócio. O problema é que, com o outono, a droga começa a ficar escassa. E uma carga que deveria abastecer a cidade de Nova Iorque, durante o inverno, é roubada por uma gangue rival. Acaba a fonte de renda dos dois, que já não tinham mais reservas. Sem dinheiro nem droga, a relação entre Marion e Harry não se sustenta. Ela parte para a prostituição, a fim de aplacar suas crises de abstinência. Entram em cena, aí, personagens coadjuvantes, mas não menos viciadas (neste caso, em sexo) do que os demais.


Na medida em que as estações do ano vão passando, sem jamais chegar a primavera (renascimento, após a hibernação), as personagens vão se deteriorando, se autodestruindo por meio de suas compulsões. O ápice se dá no inverno, como metáfora do frio da alma, da velhice demenciada, irremediável no corpo e na alma; na perda de um braço por excesso do uso de cocaína injetada; na degradação sexual, em busca de dinheiro por mais uma dose; e na prisão por tráfico de drogas.


Não há um final redentor nem idealizado. A realidade é mostrada nua e crua, sem lição de moral adjacente. As coisas são como são, podem ser explicadas ou não. Tudo se dá na concretude do corpo, inclusive as marcas da solidão, da falta de expectativas, de criatividade e desejo para tentar engendrar uma outra realidade, menos cruel, punitiva e autodestrutiva. O ideal, para eles, é a morte.

Réquiem para um sonho Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/entertainment/movies/2376469-r%C3%A9quiem-para-um-sonho/

Comentários