Filme depois da chuva



Resumo escrito por:Maria_Truccolo
Contra os dogmas, a inteligência. É assim que o ronin Lhei Misawa (Akira Terão), samurai sem mestre nem senhor (feudal), se explica pelo fato de lutar por dinheiro. Uma desonra a um samurai, que não saberia dizer “o porquê”. Mas o ronin sabe dizer “para o quê”. Os meios justificam os fins. Neste caso, o exímio lutador entra em combates pagos, para amenizar o sofrimento de várias pessoas que dividem a pensão com ele, e não têm sequer o que comer. Todos estão desempregados e... só chove e chove e chove...


O roteiro do cineasta Akira Kurosawa, finalizado um pouco antes da sua morte, em 1998, foi baseado no conto Ame Agaru, de Shugoro Yamamoto. E filmado por um dos assistentes do mais famoso diretor japonês, Takashi Koizumi.

Os críticos mais ferrenhos desdenham da direção do discípulo. Porém, o que importa muito neste filme são os diálogos, o conteúdo.



Os 91 minutos de história são da mais pura e sábia filosofia japonesa. Pensamentos que convertem, por exemplo, um pedido de desculpas em humilhação ao ofendido. Até que o pedido não seja feito, o ofendido talvez não sinta-se humilhado. O problema que levou o ronin a ter o emprego de mestre de samurais negado pelo senhor do feudo foi justamente pedir-lhe desculpas, por tê-lo vencido numa luta de espadas, em que o seu ex-futuro senhor foi parar num banhado e dali saiu todo enlameado.


Lhei vive a liberdade de não ser um serviçal, mas acaba cativando o senhor do feudo, após sua esposa Tayo (Yoshiko Miyazaki) defendê-lo da acusação de que luta por dinheiro. Porém, quando o senhor e seus súditos saem em busca do ronin, ele já vai longe, procurar outro lugar para ficar, novamente, em alguma hospedaria.


A esposa de Lhei é um capítulo à parte. Ao mesmo tempo doce e submissa, se impõe melhor do que qualquer mulher ocidental, quando se põe no comando de alguma situação. Justa e compadecida dos demais, é respeitada pelo marido e por todos, que, como se fossem samurais, se curvam ante sua senhoria. Ou seja, o verdadeiro samurai, não importa quais armas use, é antes de tudo um nobre em princípios éticos - ainda que a ética seja tomada de um outro ponto de vista.

Depois da chuva (Ame Agaru) Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/entertainment/movies/2374096-depois-da-chuva-ame-agaru/

Comentários