Enfrentar os riscos



Resumo escrito por:lmonline

A vida é cheia de riscos. Quando você joga futebol, corre o risco de quebrar a perna em uma dividida. Quando vai de carro para o trabalho, corre o risco de se envolver em um acidente.


A maioria das pessoas é avessa ao risco. Isso não significa apenas que as pessoas não gostam que coisas ruins aconteçam consigo mesmas. Significa que a elas desagradam coisas ruins mais do que agradam coisa boas comparáveis.

Por exemplo, suponha que um amigo lhe ofereça a seguinte oportunidade. Ele irá jogar uma moeda. Se der cara, ele lhe pagará 1 mil reais. Mas, se der coroa, você terá que pagar 1 reais. Você aceitaria a proposta? Não, se fosse avesso ao risco. Para alguém avesso ao risco, a dor de perder 1 mil reais superaria o prazer de ganhar a mesma quantia.

Os economistas desenvolveram modelos de aversão ao risco usando o conceito de utilidade, que é a medida subjetiva do bem-estar ou satisfação de uma pessoa.


 Cada nível de riqueza proporciona determinada quantidade de utilidade, quanto mais riqueza tem uma pessoa, menos utilidade ela obtém de um dólar adicional.

Por causa da utilidade marginal decrescente, a utilidade perdida por causa da perda da aposta de 1 mil reas é maior do que a utilidade ganha se a aposta for vencida. Como resultado, as pessoas são avessas ao risco.

A aversão ao risco representa o ponto de partida para a explicação de diversas coisas que observamos na economia, entre eles: seguros, diversificação e trade off risco-retorno.


Administrando o Risco: Aversão ao Risco Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/social-sciences/economics/2269723-administrando-risco-avers%C3%A3o-ao-risco/

Comentários