as Orações Subordinadas Adverbiais




As orações subordinadas adverbiais exercem a função um adjunto adverbial. Elas são classificadas em função do sentido que possui e a conjunção ou locução conjuntiva que as introduzem,


 e podem ser: condicionais, causais, comparativas, concessivas, conformativas, finais, consecutivas, proporcionais, e temporais.

As condicionais indicam um fato necessário à ocorrência ou não da ação expressa pelo verbo da oração principal. Deste modo, expressam uma hipótese, uma condição. As principais conjunções ou locuções conjuntivas marcas das orações adverbiais condicionais são: se, caso, contanto que, salvo se, sem que (se não), a menos que, a não ser que, dado que, desde que, que. Exemplos: “Se eu pudesse estudar mais, tiraria melhores notas nos concursos.”; “Iremos ao teatro desde que pare de chover”.
As causais expressam uma causa, o motivo, a razão do evento registrado pela oração principal. Suas principais conjunções ou locuções conjuntivas são: pois que, porque, visto como, visto que, já que, uma vez que, como, porquanto. Exemplos: “Você não acredita em amor à primeira vista porque nunca amou.”; “Já que era a primeira viagem de avião que eu fazia, senti muito medo.” Uma observação importante para a conjunção “porque” que também tem valor coordenativo, por isso, às vezes é difícil distinguir uma oração subordinada adverbial causal de uma coordenada sindética explicativa, porém, cada uma têm suas particularidades: A explicativa sempre apresenta uma ideia nova que explica a afirmação anterior e normalmente é separara da antecedente por ponto-e-vírgula ou vírgula, e ainda apresenta, em geral, o verbo no imperativo, “ Anda, Rafaela, porque já é tarde”; e a causal, apresenta uma causa em relação à consequência que foi exposta na oração principal, e ainda pode ser anteposta quando for possível a substituição da conjunção como, o que não ocorre com a coordenada explicativa, como no exemplo, “ Desprezam-me porque não sou rica”, “Como não sou rica, desprezam-me”.
As comparativas realizam uma comparação com a ação do verbo da oração principal. Suas principais conjunções ou locuções conjuntivas são: como, assim como, feito (como, do mesmo modo que), o mesmo que (como), tal e qual, (tal) qual, (tal) como, tão ou tanto,como (mais ou menos) que,(mais ou menos) do que, (tanto ou tão) quanto. Exemplo: “Você é tão bela como uma flor”.
As concessivas concedem a possibilidade de uma oposição, de um fato novo, mesmo que contraditório. Suas principais conjunções ou locuções conjuntivas são: embora, ainda que, conquanto, mesmo que, por mais que, se bem que, em que, dado que, nem que, sem que, por mais que, por menos que. Exemplos: “Estude, nem que seja um pouco.” ; “Ainda que eu falasse a língua dos homens, e falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria”. Um observação importante é que a conjunção “sem que” também pode ter valor condicional. Para saber quando se tratada de uma concessão ou de uma condição, é só verificar se a conjunção pode ser substituída por a menos que, se, a não ser que, se for, terá valor condicional e não concessivo.
As conformativas já expressam um acordo, uma conformidade entre o acontecimento que exprimem e a ação registrada pelo verbo da oração principal. Suas principais conjunções ou locuções conjuntivas: conforme, como (conforme), segundo, consoante. Exemplo: “Eu preenchi a folha de inscrição conforme solicitado no edital.”
As finais expressam o objetivo, a finalidade da ação registrada pelo verbo da oração principal. Suas principais conjunções ou locuções conjuntivas são: a fim de que, que (=para que), porque, para que.
Exemplos: “Estive na exposição sobre a arte surrealista a fim de fazer uma pesquisa para um trabalho da escola.”; “Minha mãe desligou a televisão para que eu pudesse me concentrar melhor nos estudos”.
As consecutivas expressam um efeito, um resultado, uma consequência resultante da ação registrada pelo verbo da oração principal. Suas principais conjunções ou locuções conjuntivas são: que (normalmente precedido de termos intensificadores, tão, tanto, tal, tamanho), de modo que, de sorte que, de maneira que, de forma que. Exemplos: “Ele gritou tanto que a vizinhança inteira o escutou.”
As proporcionais: expressam proporcionalidade em relação ao verbo da oração principal. Suas principais conjunções ou locuções conjuntivas são: à medida que, ao passo que, quanto...mais, quanto...menos, à proporção que. Exemplos: “Quanto mais Mariana estuda, mais quer estudar.”
E as temporais que expressam uma circunstância de tempo em relação ao fato exposto pelo verbo da oração principal. Suas principais conjunções ou locuções conjuntivas são: quanto, enquanto, sempre que, logo que, antes que, assim que, cada vez que, depois que, até que. Exemplos: “Assim que minha mãe chegou em casa eu abaixei o volume do rádio.”, “Enquanto via televisão navegava pela internet.”


Comentários