sendo profundamente comovido pela situação do povo



Resumo escrito por:Frater

O Legado de João Paulo II e as Relações Jucaicas-Cristãs


No entendimento do historiador David Rosen “A revolução nas relações católicas-judaicas veio na esteira da Shoáh, embora creia que a sugestão de que o ensino de desdém histórico da Igreja referente aos judeus era diretamente responsável para que essa tragédia seja insustentável.” De fato, como escreve o grande intelectual judaico americano, Maurice Simon, já antes do começo da Segunda Guerra Mundial, a ideologia nazista era também em grande parte uma agressão contra a própria Cristandade. Todavia, pode haver pouca dúvida de que a Solução Final não teria tido sucesso à extensão que tinha, sem que o terreno tivesse sido tão fertilizado pelos séculos pelo encorajamento - ativo e passivo - da demonização e dehumanização do judeu.
Precisamente por essa razão, quando a Shoáh estava devastadora além de todas as medidas para a Judiaria, ela tinha também implicações e ramificações profundas para a Cristandade.
Como o autor e clérigo cristão, Rev. David L. Edwards expõe: “Gentílicos retos, incluindo alguns bispos, salvaram milhares de judeus; mas os seus esforços eram pequenos em comparação com o fato de seis milhões de assassínios, um crime colossal e de sangue frio, que teria sido impossível sem a indiferença geral a respeito do fado das vítimas. O holocausto chegou a ser a fonte mais terrível de culpa da Cristandade européia - naturalmente, não por causa de os assassinos serem piedosos ou porque os líderes da Igreja tivessem permanecido completamente calados sobre as leis e ações dos nazistas pelos anos, mas por causa do relato inegável de anti-semitismo no ensino das Igrejas pelos séculos. Não somente camponeses ignorantes ou monges, mas também teólogos eminentes e professores espirituais atacaram os judeus como os ‘matadores de Cristo’, como povo agora abandonado por Deus. Não somente os judeus de Roma foram forçados a viverem em gueto. Não só Lutero se permitira a lançar palavras inflamatórias a esse alvo fácil; mas quase em qualquer lugar na Europa os judeus tinham sido feitos parecerem estranhos, sinistros e repulsivos. Uma longa estrada de pregação vergonhosa era uma das sendas pelos séculos, as quais conduziram aos campos de morte nazistas, e no fim, não o Judaísmo, mas sim a Cristandade estava sendo desacreditada.”
Mas como Edwards reconhece, havia, todavia, heróis cristãos que sobressaem como exceções neste mais horrível dos tempos. Um deles era o núncio, Embaixador Papal na Turquia durante o período da Shoáh, sendo uma das personalidades religiosas ocidentais primeiras a receber informação sobre a máquina nazista de assassínio. Esse homem, como se vê, era o arcebispo Ângelo Roncalli, que ajudou a salvar milhares de judeus das garras dos seus possíveis matadores, sendo profundamente comovido pela situação do povo judaico.
Dentro de menos que uma década e com o falecimento do papa Pio XII, foi eleito como o novo pontífice, assumindo o nome de João XXIII. Como sabemos, ao contrário da percepção popular dele como algo dum homem simples, o Papa João provou ser não menos que um visionário para o seu tempo, convocando o Concílio Ecumênico Vaticano Segundo com as suas implicações de longo alcance para a Igreja Católica.
O mais histórico dos seus documentos era aquele que tratava das relações com outras religiões, o qual conhecemos pelas suas duas palavras latinas iniciais, Nostra Aetate. Não pode haver dúvida de que esse documento, promulgado em 1965, depois da morte de João XXIII, era profundamente influenciado pelo impacto da Shoáh, transformando o ensino da Igreja Católica a respeito dos judeus e do Judaísmo.
Advertiu contra a descrição dos judeus como coletivamente culpados pela morte de Jesus naquele tempo, sem falar em perpetuidade, em contradição direta com as palavras explícitas de autoridades como Orígenes e o papa Inocêncio III. Afirmou a aliança irrompida entre Deus e o Povo Judaico, citando a Carta de Paulo em Romanos 2,29e
O Legado de João Paulo II Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/humanities/1767765-legado-jo%C3%A3o-paulo-ii/

Comentários