Melhor é Impossível Filme



Resumo escrito por:AneleLima
RELATÓRIO SOBRE O FILME: MELHOR É IMPOSSÍVEL.

O filme Melhor é Impossível trata, basicamente, da vida de um sujeito (Melvin) aparentemente muito rígido, exigente e portador do transtorno obsessivo-compulsivo.


 O convívio com as “manias estranhas” de Melvin, como a de comer constantemente num mesmo restaurante, de sentar na mesma mesa, sempre utilizar talheres descartáveis, trancar a porta cinco vezes, na maioria das vezes, acabava afastando-o das demais pessoas que o cercavam.
Uma dessas manias que fazia parte de sua rotina, era ser atendido todas as vezes por uma mesma garçonete (Carol), do mesmo restaurante em que frequentava todos os dias. O contato diário de Melvin com a única garçonete que de certa forma tolerava seus “hábitos esquisitos”, fez com que Carol se tornasse uma pessoa fundamental para continuar mantendo a ordem da sua vida.
A garçonete, por sua vez, era solteira e vivia bastante envolvida com o caso em que já enfrentara durante anos com seu filho pequeno, que sofre de um tipo de asma muito intensa. Carol demonstra ao longo do filme, todo o seu medo e dificuldade de se lançar, de fato, numa relação. Sempre muito “fechada” nas relações em que estabelecia com os outros e muito comprometida com seu filho, a garçonete parece negar o próprio desejo de precisar de alguém.
Observando toda uma lista de dificuldades e particularidades vividas pelos personagens durante o filme, é curioso refletir sobre as motivações, sejam elas conscientes ou inconscientes, que levaram esses dois personagens a se unirem no decorrer da história.
A garçonete Carol fazia parte do sintoma de Melvin, e ele precisava, a todo custo, mantê-la em sua vida como uma forma de preservar e cuidar de sua rotina, que sempre fora cuidadosamente elaborada por ele. Mas o grande comprometimento que ela mantinha em casa com o caso da doença de seu filho, passou a ameaçar constantemente a sua presença no restaurante em que trabalhava.
Percebendo a importância de Carol para conseguir não perder o controle sobre a sua vida, que se resumia basicamente na realização dos seus hábitos diários sempre bem executados, Melvin começa a abrir novas possibilidades para que ela se sentisse a vontade e despreocupada quando estivesse com ele. A contratação de um médico particular que cuidasse bem desse “filho doente” foi uma das atitudes tomadas por Melvin, que aos poucos, colaborou para a retirada da sobrecarga na qual a mãe do garoto havia conduzido sozinha ao longo dos 9 anos..
Melvin foi aos poucos se colocando no papel de uma figura paterna, dividindo de certa forma, a responsabilidade que a mãe do garoto exercia sozinha sobre o filho. Ao mesmo tempo Carol passou a se sentir desejada por aquele homem que começara também a fazer parte de sua vida. Aos poucos foram atingindo um excelente grau de crescimento e desenvolvimento de suas personalidades. Suas complexidades vividas foram somadas e melhoradas com a ajuda um do outro.



Melhor é Impossível. Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/social-sciences/psychology/2374761-melhor-%C3%A9-imposs%C3%ADvel/

Comentários