Livro Batalha do Apocalipse

:Kraszczuk
A Batalha do Apocalipse conta a história dos últimos dias antes do Apocalipse, e do papel do anjo renegado Ablon nos acontecimentos. Uma ideia a princípio simples, porém muito bem executada. Logo na introdução do livro ficamos sabendo que “Deus criou o mundo em seis dias e descansou no sétimo dia”, como já sabíamos da mitologia judaico-cristã, mas nesta versão cada “dia” na verdade corresponde a milhares de anos na Terra. E o sétimo dia, que começou após a criação da humanidade, ainda não terminou. Assim, de acordo com a mitologia criada pelo livro, Deus está adormecido desde que criou os seres humanos, e durante este período, o governo de toda a Criação foi assumido pelos Arcanjos.
Porém, ao longo dos séculos eles foram se dividindo em facções com pontos de vista diferentes. No livro, foram tentativas de golpe de estado que fizeram com que Ablon, e, em outra ocasião, Lúcifer, serem expulsos do Paraíso, não por desafiarem Deus, mas por discordarem dos Arcanjos que governavam o Paraíso.
Tudo isto é contado por flashbacks ao longo do livro, então, quando começamos a ler, não temos certeza de quais das facções estão ou não do lado da humanidade. Não temos certeza nem se Lúcifer não está, na verdade, do lado dos mocinhos. Na verdade, os personagens são escritos de tal forma que não podemos dizer que algum deles é realmente “bom” ou “mal”. Eles são tratados como seres mais complexos que isso, e vemos características positivas e negativas em cada um deles.
É claro, que, dada a premissa de que Deus esteve dormindo desde a criação da humanidade, alguns eventos bíblicos tiveram uma interpretação diferente, mas nada que deturpasse a ESSÊNCIA destes eventos, somente alguns detalhes foram mudados (dizer mais que isso seria estragar a brincadeira). E é interessante pensar “Se Deus está dormindo, como é que a história vai resolver isso, isso ou aquilo?” e ver as soluções criativas do autor.
Para escrever o livro, o autor fez uma grande pesquisa sobre a mitologia judaico-cristã, e sobre as diferentes tradições e versões das lendas. Assim, toda a cosmologia do livro é baseada em lendas e tradições reais, e poucos personagens são criações exclusivas do livro. A sucubus Lilith, por exemplo, em algumas lendas é a primeira esposa de Adão, que foi expulsa do Jardim do Éden por não se submeter a Adão. Esse trabalho de pesquisa do Autor é um dos pontos mais fortes do livro, porque dá aos personagens uma profundidade maior.
A Batalha do Apocalipse é um livro muito interessante, tanto por si só quanto pela história por trás da sua publicação. Escrito pelo carioca Eduardo Spohr, o livro foi publicado pela primeira vez em 2007, com uma segunda edição em 2009, ambas publicadas e vendidas pelo próprio autor, sem apoio de nenhuma grande editora. Após o sucesso de vendas das duas edições (as tiragens das duas edições se esgotaram rapidamente), a Editora Record se interessou pelo livro, e o publicou em 2010 através do seu selo Verus. Novamente, o livro fez um sucesso gigantesco, ficando por várias semanas nas listas de mais vendidos.


A Batalha do Apocalipse Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/books/science-fiction/2237030-batalha-apocalipse/

Comentários