primeiro organismo internacional de finalidade político



Resumo escrito por:ThiagoPinheiro
Modelo Idealista
O movimento que culminou com esse paradigma, também conhecido como período idealista das Relações Internacionais, localiza-se entre os dois grandes conflitos mundiais, marcado pelo apoio do presidente Woodrow Wilson dos Estados Unidos, e pelo advento do primeiro organismo internacional de finalidade político-universal – a Liga das Nações – o qual buscava, entre seus objetivos humanistas, principalmente impedir a incidência de nova guerra mundial.
O paradigma idealista centrou objetivos nos valores da paz universal, proscrevendo a questão da guerra, da política, do poder dos Estados, pontos fortes do subjacente paradigma realista, que avocou para si a crucial categoria estatocêntrica.
Os críticos acadêmicos dessa abordagem freqüentemente referem-se a ela como utopismo, mas esta é uma categoria enganosa por três razões: a primeira, no entender do autor, porque confunde uma proposta reguladora às Relações Internacionais, perfeitamente viável, com uma tentativa de ideal utópico; a segunda, porque simplesmente ignora a asserção real de Woodrow Wilson, pautada na conservação da paz através da lei, uma premissa geral da democracia liberal, que trouxe consideráveis implicações positivas à sociedade internacional; terceira, porque os autores realistas ao depreciarem os utópicos, desacreditam, a partir do próprio conceito e da análise utópica, uma parte válida da teoria social e política.
Segundo Shiguenoli Miyamoto, esse ideário da paz, apesar de seus contra-pontos, tem-se mantido, sobrevivendo ao longo dos séculos, contraindo a assertiva, que o homem é, por natureza, um ser conflituoso, incapaz de conviver com uma sociedade de princípios de convivência pacífica e universal.


Relações Internacionais - Estudos de Introdução (Modelo Idealista) Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/books/1753423-rela%C3%A7%C3%B5es-internacionais-estudos-introdu%C3%A7%C3%A3o-modelo/

Comentários