melhorar a auto estima



Melhor Auto-Estima

Resumo escrito por:leprechaun
A baixa auto-estima afecta muitas pessoas, embora cada pessoa possa pensar que é a única a sofrer disso. O que é a auto-estima? Auto-estima é basicamente o modo como nós nos vemos, aquilo que pensamos e sentimos acerca de nós mesmos. Enquanto uma auto-estima pobre se pode converter num obstáculo para alcançar as nossas metas, uma auto-estima saudável pode ser o motor mais poderoso para nos tornarmos quem queremos ser e alcançarmos os nossos sonhos. A auto-estima desenvolve-se através das experiências com pessoas e situações no decurso das nossas vidas. As experiências durante a infância são particularmente importantes para moldar a auto-estima, dependendo do modo como somos tratados pelas pessoas que são mais significativas para nós, e os sucessos e fracassos em diferentes áreas da nossa vida. Enquanto as experiências negativas durante a infância, tais como ser excessivamente criticado, insultado, ridicularizado, e mensagens constantes de que falhar em actividades específicas (um desporto, uma matéria escolar, etc.) são fracassos de todo o nosso ser, levam ao desenvolvimento da baixa auto-estima, experiências positivas durante a infância, como ser elogiado, tratado com respeito, escutado e receber apoio e amor dos outros, conduzem ao desenvolvimento de uma auto-estima saudável. As experiências que vivemos durante a infância, positivas e negativas, convertem-se na nossa “voz interior”. As pessoas com baixa auto-estima tendem a ter uma voz interior demasiado crítica que está constantemente a criticar, punir, depreciar as suas realizações, e a exagerar as suas falhas. As pessoas com auto-estima saudável têm uma voz interior que é positiva, optimista, tranquilizadora e encorajante. A baixa auto-estima revela-se normalmente de três modos básicos; (1) o Impostor, que age de modo feliz e próspero, mas realmente não se sente assim, e está sempre com medo de falhar e ser “descoberto”, de que os outros percebam que não é de facto tão bom como parece. (2) o Rebelde, que age como se as opiniões dos outros não tenham grande importância e finge que a crítica das outras pessoas não o magoa. Enquanto o sentimento principal do Impostor é medo, o sentimento principal do Rebelde é cólera – ira por não se sentir ‘suficientemente bom’. (3) O Perdedor, que está sempre à espera de alguém que o venha salvar, porque se sente incapaz de lidar com o mundo. O sentimento básico aqui é abandono, juntamente com o medo de mudanças. O perdedor está constantemente à procura que os outros o guiem e apoiem. Seja qual for o caso, a baixa auto-estima pode tornar-se uma espiral descendente que pode levar uma pessoa à depressão, abuso de drogas e comportamento activamente auto-destrutivo. As pessoas com baixa auto-estima tendem a pensar que não há nada a fazer acerca disso, que é assim que elas são, e deste modo ficam aprisionadas nas suas próprias ideias erradas. Uma vez que a auto-estima se desenvolve com o tempo, ela pode ser mudada e, deste modo, melhorada. Pode não se fazer facilmente ou depressa, mas pode ser feito. Três passos para melhorar a auto-estima são: 1) Refute o Crítico Interior; lembra-se da vozinha interior que pode ser tão crítica? Esta voz, nascida sobretudo das experiências da infância, é muito infantil e tem tendência a ser injustamente severa, irrealista, e ilógica; ‘Tive um Bom menos no teste, sou tão estúpido! (severo), não sei nada de nada, vou reprovar (irrealista e exagerado).
O professor não disse nada, mas posso ver pela sua expressão que ele pensa que eu não deveria estar nesta aula (conclusão ilógica). Nunca farei nada, provavelmente acabarei por me tornar num vagabundo (catastrófico).’ Ser mais animador, específico, lógico e objectivo acerca das nossas dificuldades e erros leva-nos a uma melhor auto-estima; ‘Tive um Bom menos no teste, vamos ver o que errei e aprendê-lo, e da próxima vez farei melhor (animador). Além disso, fiz muito melhor em todos os outros testes e no trabalho de casa, de modo que esta nota não vai afectar tanto aminha média (específico). O professor não parece feliz, não sei por quê, nada indica que esteja relacionado comigo (lógico), e bem, eu sei que posso fazer melhor da próxima vez como fiz antes, estou a caminho de passar esta disciplina (objectivo).’ (2) Estimule-se a si próprio; isso refere-se a tomar conta de si, ser amável e bom consigo mesmo. Assegure-se que dorme o suficiente, coma de forma saudável, faça exercício, etc., planeie actividades divertidas e relaxantes, recompense-se pelos seus dons, lembre-se dos seus pontos fortes e proezas. Por outro lado, aprenda a perdoar-se quando não realiza todas as suas expectativas. Não se critique em demasia e não espere ser perfeito… Somos apenas humanos, e haverá sempre outra oportunidade para tentar de novo. A princípio é muito difícil fazer estas mudanças, as pessoas tendem a sentir-se como se estivessem a fingir quando tentam seguir qualquer um dos dois passos acima. Isto é absolutamente normal, é difícil mudar de comportamentos e atitudes, mas também é possível, portanto não desista; ‘finja-o’ até que possa ‘fazê-lo’. E não tem de o fazer sozinho. (3) Obtenha ajuda dos outros; as pessoas com baixa auto-estima normalmente têm medo de se aproximar dos outros, por temerem que se estarão a “expor demasiado”. É necessário grande coragem para pedir ajuda, mas pode ser, e normalmente é, uma experiência muito recompensadora. Peça o apoio de amigos, professores e familiares. Se o processo se tornar muito doloroso ou difícil, procure também a ajuda de um terapeuta ou conselheiro.
Melhor Auto-Estima Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/humanities/465903-melhor-auto-estima/

Comentários