Marketing voltado para mulheres




Marketing para mulheres: o que as consumidoras realmente querem?
subtitulo = 'A fábrica de ferramentas alemã Hornbach descobriu um novo grupo de clientes: as mulheres. Ela criou a campanha de marketing "Mulheres Trabalhando" para atrair mais consumidoras. Bancos, lojas de ferramentas e fabricantes de carros fazem cada vez mais para cortejar esse público'  A fábrica de ferramentas alemã Hornbach criou a campanha de marketing "Mulheres Trabalhando" para atrair mais consumidoras. Bancos, lojas de ferramentas e fabricantes de carros fazem cada vez mais para cortejar esse público Todo mundo sabe que as mulheres sonham com homens que coloquem o mundo a seus pés. Que as mulheres ganham dinheiro e não o gastam apenas em sapatos - mas também em ações, carros ou furadeiras - é uma visão que está atualmente percorrendo os bancos e empresas de serviços financeiros, assim como lojas de ferramentas e fabricantes de carros. "As mulheres se recusam a ser colocadas em um canto", diz Kathrin Lumma, da firma de consultoria ZEB .O Citibank realizou um estudo e descobriu que para 94% de todas as mulheres a independência financeira é o objetivo mais importante em seu planejamento de vida - mais que o desejo de ter filhos ou um relacionamento duradouro com um homem. "As mulheres são uma força de mercado crescente que temos de atender", diz o diretor Thomas Weber.
"Esse desenvolvimento é essencial para nossa sobrevivência", ele acrescenta. Segundo estimativas da indústria, a parcela de mulheres que possui carros aumentará de 30% para 50% nos próximos 20 anos. Há muito se sabe que o papel da mulher na aquisição de um carro vai além da escolha da cor. A firma de consultoria A.T. Kearney estima que as mulheres determinam 80% do consumo, compram 60% de todos os carros e possuem 40% de todas as ações. Os produtores de artigos esportivos e ferramentas também estão comemorando sucessos, graças ao desenvolvimento de produtos para mulheres que vão além de fitas cor-de-rosa no design e na embalagem - desenvolvimentos que oferecem funcionalidade. O fabricante de esquis americano K2 conseguiu aumentar as vendas para mulheres em 25% um ano depois da criação de um novo modelo especial para o centro de gravidade baixo das mulheres. Enquanto isso, no mercado de eletrodomésticos, a Bauknecht trabalha em direção à verdadeira emancipação feminina. Quando lançou sua nova lavadora Big - que suporta grandes cargas de roupas -, a companhia ofereceu cursos gratuitos de lavagem - mas só para homens.

Comentários