física atômica conhecimento humano parte I

 por:ProfAndreLuis
O VAZIO DO ÁTOMO I
Antes da era cristã, alguns filósofos gregos, como Aristóteles e Empédocles, imaginavam que todos os materiais conhecidos eram formados unicamente por quatro elementos fundamentais: e terra, o ar, o fogo e a água. A cada um desses elementos atribuíam duas das quatro propriedades fundamentais: quente, frio, úmido e seco. Assim, acreditavam que o seco e o frio se uniam para formar a terra; o úmido e o frio formariam a água; o úmido e o quente o ar e o seco e o quente o fogo. Evidentemente, mais tarde verificou-se que essa idéia era incorreta, pois não se conseguiu fabricar nada unindo-se terra, ar, água e fogo.
Demócrito, teorizando ainda sobre o tema, concordava com seus antecessores num ponto: as transformações que se podiam observar na Natureza não significavam que algo realmente “se transformava”. Ele presumiu, então, que todas as coisas eram constituídas por uma infinidade de pedrinhas minúsculas, invisíveis, sendo cada uma eterna e imutável, às quais mais tarde chamaria de átomos.
A palavra átomo vem do grego, e significa indivisível, algo que não mais poderia ser subdividido. Hoje, porém, já foram encontrados por volta de 90 partículas subatômicas, menores em dimensões que o átomo em si, formadoras e constituintes do mesmo, dentre as quais as mais discutidas são: prótons, nêutrons e elétrons. Entretanto, especulação do sábio finalmente cedera lugar à curiosidade do cientista. É de conhecimento generalizado que a continuidade da matéria impera sobre a existência do átomo como partícula fundamental, embora somente a partir deste possa se caracterizar uma porção da matéria quanto às suas características e propriedades.
De acordo com os postulados de Rutherford e Bohr, já vários séculos após os primeiros filósofos e suas suposições, o átomo, menor unidade da matéria que conserva sua identidade, é um sistema descontínuo, formado por uma região central extremamente diminuta denominada núcleo, dotada de carga elétrica positiva, composta por prótons e nêutrons. Em torno deste, guardando distâncias definidas, giram os elétrons – mantidos em suas órbitas basicamente por forças eletrostáticas. Essa região é conhecida como eletrosfera.
Porém, o extremo vazio encontrado no interior do átomo é sem dúvida algo impressionante. O diâmetro do núcleo atômico é aproximadamente 100.000 vezes menor em relação ao seu tamanho total, embora concentre em torno de 99% de sua massa. Isso quer dizer que entre uma região e outra do átomo, entre o núcleo e a eletrosfera, impera o vazio, o nada absoluto.
À medida que vamos procurando alguma parte tangível no átomo, chegamos à conclusão de que nele praticamente coisa alguma existe. Então, somos facilmente levados ao veredicto de que, se tudo no Universo é formado por átomos, visto esta ser sua unidade fundamental, desde o mundo visível dos fenômenos como complexas funções vitais orgânicas, o que seria de fato a matéria senão uma fantástica forma de ilusão.
 

Física ATÔMICA e CONHECIMENTO HUMANO Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/books/1923019-f%C3%ADsica-at%C3%B4mica-conhecimento-humano/

Comentários