A cor dos vinhos – o que nos ensina



Crítica escrita por:Veve17
A cor dos vinhos – o que nos ensina
TINTOS: Vermelha Púrpura: Tonalidade violácea para definir um vinho tinto muito jovem, onde com certeza existe desarmonia entre a acidez e a adstringência. Vermelha Rubi: Tonalidade que indica um tinto jovem, mas que já possui um certo equilíbrio ácido-tânico. Normalmente indica um vinho em bom estado de saúde e conservação. Vermelha Laranja: Tonalidade encontrada em grandes vinhos de longo envelhecimento. É um vinho harmônico. BRANCOS:
Amarela com Reflexos Verdes: Tonalidade geralmente encontrada nos vinhos brancos muito jovens, leves e frescos. São obtidos de uma rigorosa vinificação de uvas que geralmente foram colhidas antecipadamente. Ex: Clarificação e filtragem. Estes reflexos tendem a diminuir depois do primeiro ano de vida. Amarela Palha : Tonalidade que se encontra nos vinhos jovens que possuem um bom equilíbrio entre acidez e suavidade. São características encontradas em vinhos obtidos de uma vinificação de uvas colhidas em plena maturação fisiológica (harmonia entre açucares e ácidos). Amarela Dourada:
Tonalidade encontrada nos vinhos brancos que apresentam uma maior quantidade de açúcar, obtidos de uvas que atingiram um estágio avançado de maturação ( passas ) ou que tenham sido envelhecidas em tonéis de carvalho ( ex: Cova da Ursa ). Amarela Âmbar:
Tonalidade encontrada em vinhos brancos obtidos através de técnicas enológicas onde a uva é deixada ao sol para secar, concentrando assim maior teor de açúcar e também quando o vinho é envelhecido por um longo período. (ex: vinho do Porto).
O vinho e seus prazeres Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/internet-and-technologies/1782771-vinho-seus-prazeres/

Comentários